6 de outubro de 2016

Ângela

Ângela
Quantas mãos te acenam
Quantos corpos se enfrentam
Para em ti se aventurar

Ângela
De fartas ancas
Parcas esperanças
Carregas em teu caminhar

Ah, Ângela
Eu te vi passar
Triste e descrente
Pelos faróis da Faria Lima
Pelas marginais engarrafadas da vida
Pelos becos sem saída
Pelas avenidas em mim.

Anderson Lopes

13 de agosto de 2016

Em Frente


Sigamos em frente
Acenda uma vela
O Amor está morto e enterrado
Fixado no esquecimento

Sigamos em frente
Acenda uma vela
Apagamos as estrelas
Que acendemos juntos

Sigamos em frente
Acenda uma vela
Uma fogueira
Outras estrelas
Outro amor.

(Anderson Lopes)

13 de julho de 2016

O Amor



O Amor caminha
Maltrapilho pelas ruas
Batendo de porta em porta
Mendigando corações.

[Anderson Lopes]


28 de maio de 2016

À Luz do Meu Tempo



Falsa a luz que me ilumina
O meu corpo projeta sombras artificiais
Melhor eu estaria
Envolto em total escuridão
Tateando com os olhos
Enxergando com a imaginação
Não distinguindo corpo de sombra
Não separando verdade de ilusão. 

[Anderson Lopes]

10 de abril de 2016

Bordado

De ponto em ponto
Como uma agulha
Vou bordando o meu caminho
Conduzindo o meu frágil linho
Formando firmes desenhos
No manto branco da vida...


Anderson Lopes